Pontos turísticos em Cataguases

Padrão

“O nome Cataguases vem – pelo menos, até provas em contrário, pois muitas são as controvérsias nessa cidade em constante questionamento – , pois é, o nome Cataguases parece que vem de uma tribo de índios que habitava a região, os ‘Catu-auás’. Dizem que o nome catu-auá significa em tupi-guarani ‘terra de gente boa’. E Cataguases sabe receber muito bem. Quem bebe da água do Rio Pomba nunca deixa de voltar. Dizem. ”  

Confira alguns dos mais importantes pontos turíticos de nossa cidade.
Além de inúmeras obras artísticas e arquitetônicas modernas tombadas pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), Cataguases também oferece inúmeras contruções marcantes do final do século XIX, belíssimas paisagens naturais, museus, centros culturais e muito mais!

Ponte Metálica (1914)

images (1) A construção da Ponte Metálica foi determinada em 1910, devido à solicitação do deputado federal Astolpho Dutra Nicácio. Ela foi erguida para substituir a ponte anterior, de 1842, feita em madeira, que ligava o núcleo urbano de Cataguases à margem oposta do Rio Pomba, que corta a cidade. Com material importado da Alemanha e mão-de-obra especializada, vinda de fora, as obras foram iniciadas dois anos depois e terminadas em 1914.

 

 

 

 

 


Santuário de Sa2nta Rita de Cássia (1968)

Em 1941, chega a Cataguases o padre Solindo José da Cunha – e com ele a ousadia de um novo templo, inaugurado apenas em 1968. O projeto de Edgar Guimarães do Valle traz o arrojo da nave livre, do vão central sem colunas. Na parte frontal externa, “A vida de Santa Rita”, painel de Djanira. Em 1995, o interior da nave rompe com o “branco-silêncio” de suas paredes e ganha o mural “A via Crucis de Jesus Cristo”, assinado por Nanzita.

 

 

 

 

 

 

Paço Municipal (15911837459_100b3155d9900)

Com suas linhas remetendo ao neoclássico, o Paço, que abriga com exclusividade o corpo administrativo da cidade, foi erguido ao mesmo tempo em que se remodelava a velha igreja matriz, no final do século XIX. O Coronel João Duarte Ferreira, à época uma das grandes fortunas do estado, foi quem financiou a parte final da construção e do mobiliário.

 

 

 

 

 

 

Estação Ferroviária de Cataguases (1877)

Uma das mais antigas construções ainda preservadas do conjunto Arquitetônico da Praça Governador Valadares, o prédio – típico de todas as estações da época, seguindo o traçado dos pavilhões industriais ingleses – foi construído no final do século XIX pela Estrada de Ferro Leopoldina. Após a privatização, o prédio foi cedido à Prefeitura Municipal, que o reformou inteiramente, na década de 1990, após seu tombamento pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional). Em 1997, a estação foi reaberta, desta vez como Centro Cultural Eva Nil.

 

 

 

 

 

 

Colégio Catimagesaguases (1957)

Principal obra do arquiteto Oscar Niemeyer em Cataguases, o prédio do Colégio foi encomendado pelo industrial e escritor Francisco Inácio Peixoto para substituir o antigo ginásio da cidade, que funcionava no mesmo local desde 1909.
Entre os anos de 1948 e 1974, o salão nobre recebeu uma das obras-primas do pintor brasileiro Cândido Portinari, o painel “Tiradentes. O acervo do Colégio ainda conta com o painel de pastilhas original do modernista Paulo Werneck e a escultura “O Pensador”, de Jan Zach.

 

 

 

 

 

Residência Franc_043isco Inácio Peixoto (1941)

Projetada por Oscar Niemeyer, contemporânea ao Projeto da Pampulha, em Belo Horizonte, a residência é o primeiro marco do Modernismo arquitetônico em Cataguases e em Minas Gerais, com os mesmos princípios de simplicidade e correção que o arquiteto aplicaria, logo em seguida, ao traçado do Colégio Cataguases.

 

 

 

 

 

 

 

Praça Rui Barimages (3)bosa (1957)

A Praça Rui Barbosa, em meados da década de 1950, no centro da cidade, foi totalmente reformulada por um projeto assinado pelo arquiteto Luzimar Natalino de Góes Telles. Os bancos de pastilha, sem encosto, com curvas discretas, o chão de pedrinhas portuguesas com formas geométricas: tudo com um visual muito limpo, funcional e moderno. À ousadia de Luzimar, que residia na cidade, na época, incorporou-se a genialidade de Francisco Bolonha, que desenhou para o conjunto um coreto sob forma de uma concha acústica, que se debruça sobre a praça.

 

 

 

 

 

Edgard Cine-TeResize_Campanhaatro  (1953)

Nos anos 1940, o escritor Francisco Inácio Peixoto, então diretor da Companhia Cinematográfica Cataguases, encomendou a construção do prédio do novo cinema ao arquiteto Aldary Toledo. No local já funcionava desde o final do século XIX uma sala destinada a encenações teatrais e exibições de filmes, o famoso Cine-Theatro Recreio. O Cine-Teatro foi inaugurado em 1953. 

 

 

 

 

 

 

Museu da E-letricidade (1926)

O Museu da Eletricidade – Espaço Documentário foi inaugurado em 1985 e acha-se instalado em uma construção do início do século XX, com uma tipo de arquitetura urbana muito comum na época. Além do acervo, o Museu abriga um centro didático e interativo sobre o uso da eletricidade, a Super Estação de Energia.
Na lateral do casarão, ainda dentro de seu complexo,há o Café do Museu e o Anfiteatro Ivan Müller Botelho.

 

 

 

 

 

 

 

Museu Chácarchacara_dona_catarina_cataguasesa Dona Catarina (1988-2000)

Localizado em posição frontal ao velho prédio da Estação Ferroviária, o Museu está instalado na antiga residência do Coronel João Duarte Ferreira e de sua segunda mulher, a italiana Catarina Zauza.  A Chácara encontrava-se em total abandono até o final do século passado quando foi totalmente recuperada juntamente com seus jardins pela Fundação Cultural Ormeu Junqueira Botelho, pela Telemar, pela Usiminas e inaugurada em 2000. 

 

 

 

 

 

 

Praça José I0nácio Peixoto (1956)

Na década de 1950, os operários da Companhia Industrial Cataguases manifestaram o desejo de homenagear o industrial José Inácio Peixoto. O arquiteto Francisco Bolonha é chamado para construir um monumento que dê continuidade, no espaço público, às primeiras experiências com arquitetura moderna realizadas na década anterior. “A Família”, escultura de Giorgio, e o painel “As Fiandeiras”, de Cândido Porinari, executado em azulejos vitrificados por Américo Braga.

 

 

 

 

 

 

Fábrica djca_008450eee Fiação e Tecelagem Cataguases (1913) – Instituto Francisca de Souza Peixoto (Chica)

A “Fábrica Velha” foi inaugurada em 1905, embora suas obras completas tenham se acabado somente em 1913. O prédio, cuja área instalada tem hoje mais de 11 mil metros quadrados, destinava-se na época a abrigar os modernos teares movidos a eletricidade e todo complexo da Fábrica de Fiação e Tecelagem Manuel Ignácio Peixoto e Filhos. Hoje ele abriga o Instituto Francisca de Souza Peixoto, o “Chica”.

 

 

 

 

 

 

Monumento a Hum10berto Mauro (2002)

Realizada por um dos maiores escultores brasileiros, Amilcar de Castro, a obra é uma portentosa estrutura pesando 15 toneladas e que homenageia o cineasta Humberto Mauro, que fez em Cataguases seus primeiros filmes. A escultura tem a forma de uma porta, significando os novos horizontes vislumbrados por Mauro e foi encomendada pela Energisa, via Lei Estadual de Incentivo à Cultura.

 

 

 

 

 

 

Hotel Cataguashotel_cataguases2es (1951)

A influência de Oscar Niemeyer, principalmente o traçado do Colégio Cataguases, se faz sentir nesse projeto do final dos anos 1940, realizado por Aldary Toledo.
Novamente, vê-se aqui uma bela composição realizada a partir de soluções de grande simplicidade e despojamento. O mobiliário é de Joaquim Tenreiro, o paisagismo do Hotel é de Carlos Perry e, na entrada, um espelho d`água serve como pano de fundo para a escultura “Mulher”, de Jan Zach.

 

 

 

 

 

 

Grande Hoimages (2)tel Villas (1893)

Projetado pelo engenheiro Guido Bergamini em 1893, o Grande Hotel Villas é outro integrante do complexo arquitetônico da Praça Governador Valadares, no entorno da Estação Ferroviária. Ele foi construído para sediar a matriz do Banco de Cataguases, a mando do coronel João Duarte Ferreira. Em 1895, João Duarte arrendou o prédio a José Villas Bouçada, que o transformou no Grande Hotel Villas.

 

 

 

 

 

 

Avenida Astolfo Dutra (1920)

Seu traçado original data da última década do século XIX. A obra foi encomendada por Astolpho Dutra Nicácio, então agente executivo municipal. O engenheiro Caetano Mauro, pai do cineasta Humberto Mauro, elaborou nos anos 20 o projeto de planejamento e urbanização da avenida que ajudou a abrir. E logo, como ainda hoje, tornou-se o eixo central da cidade, com os belos pontilhões e suas balaustradas em círculo. A avenida com seus oitis e magnólias tem seu charme acrescido com as inúmeras residências de plástica modernista.

 

 

Horto Flimagesorestal

O Horto Florestal possui uma área de 70 hectares de terra que se destinam ao cultivo de mudas de várias espécies como: Pau-Brasil, Pau-Ferro, Pinha, Pitanga, Pitomba, Romã, Sapucaia, Sete Casca, Sapoti, Tamarino e outros. Possui também mudas destinadas a arborização e ao paisagismo.
Existe no Horto Florestal uma diversidade enorme de animais como macacos, cachorros do mato, bichos preguiça, pássaros variados, entre outros. No horto, há ainda venda de mudas para jardinagem e arborização.

 

 

 

 

 

 

Educandád016_arq080-01-10rio Dom Silvério (1954)

As Irmãs Carmelitas chegaram a Cataguases, em fevereiro de 1912. Com a ajuda de pessoas ricas da cidade, as irmãs adquiriram o prédio da antiga Prefeitura e cadeia pública, transformando-o no Orfanato Dom Silvério, cujo nome foi uma homenagem ao Arcebispo de Mariana daquela ocasião. Em 1949, o velho casarão já não suportava mais e houve urgência em substituí-lo, isto é, edificar um novo.
A construção do novo edifício visou ao estilo moderno. Na fachada do prédio, há um mural em azulejo, de Anísio Medeiros, e a capela apresenta uma obra primorosa do pintor Emerick Marcier. A inauguração deu-se em 1954.

 

 

 

 

 

Feira de AGEDC0307rtesanato

A Feira de Artesanato é realizada aos sábados na Praça Rui Barbosa e aos domingos na praça Santa Rita. Com barracas padronizadas, os artesãos e fabricantes de doces e salgados caseiros, apresentam seus trabalhos para a comercialização.Os artesanatos são geralmente em madeira, sisal, tecidos, telas, bordados e tricô.Os doces em compotas, pedaços e caldas, são feitos com frutas da época, assim como os licores e os sucos.

 

 

 

 

 

Bibliografia: http://www.cataguasesviva.com/turismo.html

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s